sou borboleta amarela...e voltei foi pra ficar....



acordei
com borboletas a
sair
pelos olhos.....
ja
bolinaram meu
estomago...
inflaram veias....
chegaram
a bater suas asas no
orgão
que pulsa....
e por
um bom tempo
adormeceram....
eis que
mais de repente....
o casulo
eclodiu.....


foram-se todas as
magoas....
pensamentos ruins.....
ficaram
os momentos doces.....
que
enluarada
habitavam em mim....
são estes
que deixaram marcar
tatuadas
no pulsar da minha
respiração
asas amarelas ....
voando
pela imencidão do ar....


asas afiadas
querendo tudo contornar...
externou
meu interior....
aquilo
que jazia em mim....
escancaram
todas janelas...
abriram meus olhos....
estes
que fechados ...
para dar tempo ao
tempo....
iluminar a visão á meu
alcance....
enxergar alen das
ausencias em
atos.....
palavras.....
pois o silencio era
cortante....
e habitava entre nós.....
céus e mares....
estou
a gritar....
escutem.....


sou borboleta amarela.....
depois
de muito tempo como
gaivota magoada....
voando
sobre oceanos.....
voltei
e foi para
ficar.....





fatima j zuanetti........

Um comentário:

Aurelio disse...

Lindo poema Fátima. As borboletas amarelas sempre ficam, nunca deixam sua area de nascimento, ou eclosão, sempre belas a voar!
Beijão anjo!!!